domingo, 6 de março de 2011

sistema cardio respiratório

A Primeira Experiência Humana
A primeira experiência do ser humano após o nascimento é chamada de função ventilaria, ou seja, a troca de ar do espaço alveolar e o sangue, esta é a primeira experiência de aprendizagem do ser humano, fora do sistema fechado do útero. Antes do nascimento a respiração é desenvolvida através do sangue materno que penetra nas artérias uterinas e é suprido pelo feto, através das artérias umbilicais. Estas trocas gasosas são efetuadas pela barreira placentária (3,5 micra de espessura). Segundo GUYTON (1976), esta difusão se dá devido ao gradiente de pressão de O2 placentário do sangue materno para o sangue do feto.
Começando este novo tipo de respiração, o recém-nascido desenvolverá um complexo sistema que fará com que mantenha por toda a sua vida o fenômeno respiratório.
Diafragma
Esse é o musculo principal responsável pela realização dos movimentos de inspiração, ele recebe inervação motora vinda de alguns segmentos cervicais. Em condições de repouso, ele é responsável por 2/3 a 3/4 do ar utilizado na ventilação e desloca-se cerca de 1 cm, quando o trabalho respiratório está sendo feito em repouso, e pode chegar até 10 cm quando em grande esforço.
Quando em repouso, a expiração tende a ser passiva e quando em atividade muscular, com intensidade de moderada a intensa, ela tende a ser ativa, pois há um maior volume de ar em cada ciclo respiratório. Estes movimentos cíclicos (inspiração - expiração - inspiração) geralmente dá-se a uma frequência de 12 a 18 ciclos por minuto, quando em repouso. Porém, diversos fatores podem alterar a ventilação devido a modificações na frequência ventilaria, no volume corrente e no ritmo. São eles: o sono; emoções (medo, angústia, depressão, ansiedade, etc.); choro; fonação; exercício muscular e algumas causas consideradas mórbidas.

Sistema Respiratório
Ao processo de inspirar e expirar o ar dá-se o nome de respiração. Ela permite ao corpo absorver o oxigênio necessário para gerar energia e eliminar o gás carbônico resultante das reações químicas. Durante a respiração, o ar é tomado dos pulmões e forçado a voltar para trás. Isto normalmente é feito automática e involuntariamente. Como os pulmões não podem se mover por eles mesmos, a respiração depende de movimentos do diafragma e dos músculos do tórax que estão entre as costelas.


Os principais órgãos que constituem o trato respiratório. São eles:
* Fossas Nasais(passagem nasal) - servem para filtrar o ar quando ele entra no corpo.
*Faringe - onde se localiza a epiglote cuja função é impedir o alimento de chegar ao pulmão.
*Laringe - faz o ar vibrar as cordas vocais.
*Traquéia - é a continuação da laringe e bifurca-se em dois tubos menores chamados brônquios.
*Brônquios - que penetram nos pulmões e ramificam- se em tubos menores chamados bronquíolos.
*Bronquíolos-têm diâmetro de aproximadamente 1 mm.
*Alvéolos Pulmonares - onde ocorre a troca de oxigênio por gás carbônico.
Em cada pulmão, o ar continua o seu trajeto através de tubos. Os tubos maiores são chamados brônquios. Os dois brônquios principais se originam na traquéia e, dentro dos pulmões, dividem-se em brônquios menores, que por sua vez dividem-se num grande número de bronquíolos menores ainda. Os bronquíolos dividem-se em ductos alveolares, que contém alvéolos, comumente chamados de sacos de ar. Os alvéolos contêm uma parede muito fina ou membrana que separa o sangue do ar contido nos alvéolos. Esta fina membrana permite que o oxigênio e o nitrogênio passem do ar para o sangue. Desta forma, o sangue leva oxigênio para todo o corpo. Quando o sangue retorna aos alvéolos, o dióxido de carbono e outros gases passam do sangue para os alvéolos. Estes gases são eliminados do seu corpo com o ar que você expira. Cada pulmão é envolvido pela pleura, uma fina membrana que se dobra sobre si formando uma dupla camada ao redor de cada pulmão. Há um espaço mínimo entre estas membranas preenchido por um fluido que possibilita o deslizamento das duas durante a respiração. A pleura interna está ligada ao pulmão; a externa, à caixa torácica. A principal função delas é permitir a contração e a expansão dos pulmões de forma suave e uniforme. Ao respirar, a caixa torácica se expande para cima e para fora fazendo com que os pulmões se expandam e se encham de ar ao mesmo tempo. Quanto mais forte a ação muscular, maior quantidade de ar penetra nos pulmões.
Como Respiramos?
O ar que respiramos é umedecido e aquecido por pequenos vasos sanguíneos próximos à cavidade nasal antes de chegar aos pulmões. Os finos pelos presentes no nariz filtram o ar e impedem que corpos estranho sejam levados aos pulmões. Durante a inspiração, o diafragma se achata e perde a forma abaulada que possui quando relaxado. Ao mesmo tempo, os músculos intercostais se contraem e empurram a caixa torácica para cima e para fora. Esses movimentos aumentam o volume do tórax e permitem que os pulmões se expandam e se encham de ar. Na expiraçào, o diafragma e os músculos intercostais relaxam, diminuindo o volume da caixa torácica e fazendo com que os pulmões se contraiam e expulsem o ar para fora.

Como se dá o Fluxo Sanguíneo nos Pulmões
Os pulmões são órgãos esponjosos constituídos por milhões de alvéolos, pequenos sacos aéreos. A fina parede dos alvéolos é constituída por pequenos vasos sanguíneos e é através delas que ocorrem as trocas vitais de oxigênio e gás carbônico. Os alvéolos permitem um contato muito estreito entre o sangue e o ar: o oxigênio passa para a corrente sanguínea e o gás carbônico é expelido na expiração.

A Importância do Oxigênio
Os seres humanos podem viver por vários dias sem alimento ou água, mas eles morreriam em poucos minutos na ausência de ar. O oxigênio, um gás encontrado no ar, é necessário para o metabolismo da célula, o processo crucial para transformar alimento em energia. O ar que entra nos pulmões contém mais oxigênio e o ar que deixa os pulmões contém mais dióxido de carbono, medido em milímetros de mercúrio (MMHG). A respiração traz oxigênio para o corpo e envia para fora outro gás, o dióxido de carbono, considerado o "lixo" do metabolismo. Esta substituição de gás é realizada por pequenos sacos alveolares que ocupam a maior parte do espaço dos pulmões. É através deles que o oxigênio entra na corrente sanguínea e o gás carbônico pode ser expelido do organismo. Para essa troca de gases se fazer de forma eficiente para sustento e manutenção do corpo humano é necessário outro sistema tão importante quanto o respiratório.

Sistema Cardíaco
O sistema cardíaco tem como órgão principal o coração que é um órgão vital para a sobrevivência do corpo humano, constituído em sua maior parte por musculo permitindo que o sangue seja bombeado pelo corpo através das veias e das artérias. Para que haja uma troca gasosa que permite a renovação da energia e processo metabólico do ser humano o sistema circulatório que se dá através do bombeamento de sangue com a expansão e contração do coração (sístole e diástole) o sangue é bombeado através de um vasto conjunto de tubos que alimentam o corpo através das células e órgãos fundamentais para a digestão que efetuam o processo de absorção dos nutrientes necessários para a manutenção da vida. 

O sistema cardiovascular inclui dois circuitos:
o pulmonar, que se inicia no ventrículo direito e impulsiona o sangue venoso, para a artéria pulmonar, na direção dos pulmões, local onde se dá a hematose. Depois, o sangue arterial regressa ao coração, pelas veias pulmonares, entrando pela aurícula esquerda.
o sistémico, que se inicia no ventrículo esquerdo, impulsiona o sangue para a artéria aorta e, através de várias ramificações, conduz o sangue para todo o corpo. Depois, o sangue, vindo da veia cava superior, que recolhe o sangue da cabeça, dos braços e do peito, e da veia cava inferior, que recolhe o sangue do resto do corpo, entra no coração, através da aurícula direita.
As artérias coronárias, que irrigam o próprio músculo cardíaco, saem da artéria aorta e circundam a parte externa do coração, ramificando-se em arteríolas e estas, por sua vez, em capilares. Esta rede de capilares coronários se junta dando origem a vénulas, as quais convergem, formando as veias cardíacas, que levam o sangue à aurícula direita.
Esse sistema chamado de cardiorrespiratório é fundamental para essa alimentação e manutenção da vida no corpo humano se esse sistema falha pode ocorrer vários tipos de sequelas e até mesmo a morte do corpo. Para que os sistemas funcionem são necessárias às aptidões físicas essenciais para a manutenção da saúde essas são a força, resistência e flexibilidade.

Metabolismo
O que é Metabolismo?
Metabolismo é a soma de processos químicos e físicos que ocorrem dentro de um organismo vivo.

Tipos
O metabolismo divide-se em catabolismo (quebra de uma substância para obter energia) e anabolismo (capacidade que o organismo possui de transformar uma substância em outra que sirva para seu desenvolvimento e reparação).
De organismos unicelulares (formados por uma única célula) a pluricelulares (formados por várias células) ocorrem funções metabólicas.

Funções metabólicas
Um bom exemplo de função metabólica é o processo de respiração celular que ocorre nos organismos aeróbicos, onde a mitocôndria quebra a glicose introduzindo oxigênio no carbono, retirando, assim, sua energia.

Aptidões Físicas

Força
Segundo (BARBANTI, 1979), no esporte e na atividade física, a força motora manifesta-se no aparelho locomotor, dependendo do sistema nervoso que o dirige, do sistema ósseo que o sustenta e dos sistemas cardiovasculares e respiratórios que transportam os nutrientes necessários para o desenvolvimento de sua tarefa.
Portanto do ponto de vista prático a força motora é a capacidade do sistema neuromuscular de vencer resistências (oposições), como por exemplo, o peso do próprio corpo, um peso, um objeto, etc.
Segundo (MEUSEL, 1969 citado por BARBANTI, 1979) apresentou uma conceituação bastante clara e objetiva sobre força “é uma característica humana, com qual se move uma massa (seu próprio corpo ou um implementos esportivo), sua capacidade em dominar ou reagir a uma resistência pela ação muscular”.
De acordo com (TUBINO, 1979) força é “a habilidade de um músculo ou grupo muscular de vencer uma resistência produzindo tensão na ação de empurrar tracionar ou elevar”.
A força é importante, pois sem essa aptidão não conseguiríamos vencer as barreiras da gravidade e não seria possível nos movimentarmos.

Resistência
Conforme (TUBINO, 1979) resistência é “a qualidade física que permite um contínuo esforço, proveniente de exercícios prolongados durante um determinado tempo”.
(GOMES TUBINO, 1979) Classifica resistência em três tipos:

Resistencia Muscular Localizada; “É a capacidade individual de realizar durante um período longo a repetição de um determinado movimento num mesmo ritmo e com a mesma eficiência”.

Resistencia Anaeróbica; é definida dentro de termos fisiológicos como “A qualidade física que permite manter um esforço por determinado período, em que as necessidades de consumo de oxigênio são superiores a absorção do mesmo fazendo com que seja encontrado um débito de oxigênio o qual será recompensado no repouso”.

Resistência Aeróbica; “É a qualidade física que permite um esforço por um determinado período em que há um equilíbrio entre o consumo de oxigênio e a absorção do mesmo”.
Segundo (CONSOANTE FREY, 1977) “a resistência psíquica contém a capacidade do esportista de resistir por longo tempo a um estímulo”.

Conforme (CONSOANTE FREY, 1977) “geralmente entende-se por resistência a capacidade psicofísica do esportista em suportar a fadiga”.
A resistência física não é só importante para o atleta, mas também ao indivíduo comum, pois para ele, que exerce um dia de trabalho intenso, tem que ter uma resistência física maior que o desgaste gerado pela atividade.

Flexibilidade
A flexibilidade é a capacidade motora que permite executar todo o tipo de movimentos articulares de um modo o mais descontraído possível e com a maior amplitude articular. Isto  é realizado através da elasticidade muscular e da mobilidade articular.
    
A Flexibilidade Depende de Alguns Fatores:
Dos limites possíveis de mobilidade articular, considerando sobre tudo as estruturas ósseas que integram a articulação em causa, assim como os grupos musculares opostos ao movimento;
Da área das superfícies cartilaginosas, que podem ser aumentadas, quando se efetuam movimentos de um modo amplo, ou reduzidas, no caso contrário;
Do comprimento do sistema ligamentoso de sustentação, susceptível de aumento através do exercício;
Dos níveis de descontração e comprimento dos grupos musculares opostos ao movimento.

Variantes da flexibilidade:
       Flexibilidade geral
       Flexibilidade específica (uma só articulação)
       Flexibilidade ativa (sem ajuda)
       Flexibilidade passiva (com ajuda)

Agilidade e Velocidade
Agilidade; segundo (TUBINO, 1977) agilidade é definida como “A capacidade que se tem para mover o corpo no espaço o mais rápido possível. Muitos estudiosos consideram a agilidade como sinônima de velocidade de troca de direção. Quando trabalhamos agilidade desenvolvemos o domínio do corpo e a confiança em si. Para um perfeito desenvolvimento da agilidade devemos apresentar um progressivo grau de dificuldade nos exercícios, sendo que com esta programação podemos sentir que os atletas alcançarão níveis ótimos de execução”.

Velocidade; segundo (TUBINO, 1977) ele considera que a mais completa definição é a do belga FAUCONNIER que define velocidade como “a qualidade particular do músculo e das coordenações neuromusculares que permitem a execução de uma sucessão rápida de gestos que, em seu encadeamento, constituem uma só e mesma ação, de uma intensidade máxima e de uma duração breve ou muito breve”.
(TUBINO, 1977) classifica velocidade em três tipos:

Velocidade de reação: “entendemos por velocidade de reação o tempo requerido para ser iniciada uma resposta a um estímulo específico”.

Velocidade de Deslocamento: “é a capacidade máxima de um indivíduo deslocar-se de um ponto para o outro. Também é conhecida como velocidade de movimento, se destaca nos esportes coletivos e também em provas de velocidade do atletismo”.

Velocidade de Movimento de todos os Membros (Superiores e Inferiores): “É muito importante em vários desportos e há também uma grande necessidade de seu reconhecimento em atletas por parte dos treinadores. Como o próprio nome já diz velocidade de movimento dos membros (superiores e inferiores) é a habilidade de mover braços e pernas em sincronia tão rápido quanto o possível”.


Percebemos que as aptidões físicas são fundamentais para a manutenção da saúde e conservação funcional de todos os sistemas, é interessante perceber que a velocidade faz-se muito importante para o desporto e para o atleta treinado; podemos dizer que nessas condições ela se faz importante para a manutenção da saúde, mas caso o ser humano em questão não tenha interesse por esse tipo de aptidão. A velocidade pode ser descartada de sua vida como algo que não causa influencia na manutenção de sua saúde?

A Velocidade esta Presente no ser Humano
Falamos aqui em nosso trabalho sobre os sistemas; respiratório, cardíaco e circulatório, não pode desconsiderar que dentro de nosso corpo a atividade desses sistemas se faz em sincronia e que as aptidões físicas se bem utilizadas podem melhorar a manutenção de nossa saúde.
É interessante quando falamos sobre velocidade o fato de que não percebemos que ela esta também esta presente em nossa vida 24 horas por dia, não de uma forma desportiva, mas para mantermos nossas aptidões físicas bem disciplinadas necessitamos que a velocidade presente em nossos sistemas cardiorrespiratório e circulatório mantenha uma sincronia, a falta de uma aptidão física como a força pode causar a quebra dessa sincronia modificando a velocidade desses processos podendo acarretar em uma perca na manutenção da saúde presente e futura do ser humano. É importante perceber que as aptidões físicas podem ser estimuladas, treinadas e melhoradas assim a manutenção da saúde pode obter ganhos significativos melhorando também a qualidade de vida do ser humano.


Bibliografia
Anatomia Humana Essencial, autor: R.R. De Souza

Sobotta - Atlas de Anatomia Humana - 2 Vols. - 22ª Ed. 2006 Sobotta, Johannes / GUANABARA KOOGAN


Nutrição & Metabolismo Gibney, Michael J. / GUANABARA KOOGAN


Aptidão Física, Saúde e Bem Estar - Fudamentos Teóricos e Exercícios Práticos - 2ª Ed. 2010 Guiselini, Mauro / PHORTE

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário